Festa N. Senhora


natividade[1]Natividade

A vida terrena da Mãe de Deus:Com base nas escrituras sagradas e na herança histórica da Igreja.O evangelista Lucas, que conheceu de perto a Sagrada Virgem Maria, registrou a partir das palavras Dela, inúmeros fatos importantes relativos aos primeiros anos da Sua vida. O evangelista Lucas era médico e também pintor, tendo pintado uma imagem da Virgem, ícone a partir do qual outros pintores fizeram outras cópias.

A Santa Igreja Ortodoxa celebra cada ano, no dia 8 de setembro O Nascimento da Nossa Senhora

O nascimento:Da Sagrada Virgem Maria. Quando se aproximava o momento do nascimento do Salvador do mundo na cidade de Nazaré, na Galiléia, morava alí um descendente do rei David, chamado Joaquim com a sua mulher, Ana. Ambos eram pessoas reconhecidamente de boa índole e eram conhecidos pela sua compaixão, humildade e generosidade. Joaquim e Ana atingiram uma idade muito avançada, mas não tinham filhos. Este fato entristecia-os especialmente. Mas apesar da idade, eles continuavam a orar incessantemente e a pedir a Deus para que Ele, lhes concedesse um filho. Para isso fizeram até uma promessa de que se eles recebessem a dádiva do nascimento de um filho, o destinariam para servir a Deus. Naqueles tempos não ter filhos era considerado um castigo divino pelos pecados cometidos. Joaquim em particular sofria muito com a falta de filhos, principalmente porque, de acordo com a as profecias, na sua família deveria nascer o Messias – Jesus. Pela paciência e fé, Deus deu a Joaquim e Ana uma grande alegria: finalmente conceberam uma filha e a Ela foi dado o nome de Maria, o que em hebreu significa: “Senhora, Esperança”.

entrada[1]Entrada no Templo

A Santa Igreja Ortodoxa celebra cada ano, no dia 21 de novembro Entrada da Nossa Senhora no Templo

A Entrada no Templo:

Quando a Virgem Maria completou três anos, os seus beneméritos pais, prepararam-na para cumprir a promessa fixada por eles, levaram-na a um templo em Jerusalém para que Ela pudesse dedicar a Sua vida a Deus. A Virgem Maria, ficou a residir junto ao templo. Alí, ela e outras companheiras estudavam as leis de Deus e executavam trabalhos manuais, rezavam e liam as Escrituras Sagradas. Junto a este templo a Virgem Maria viveu perto de 11 anos, cresceu, desenvolvendo em si uma profunda compaixão, em tudo entregue à vontade de Deus, imensamente modesta e dedicada em seus esforços. Desejando viver e dedicar-se exclusivamente a Deus, ela fez um voto de não se casar e permanecer para sempre virgem.

 

foto1[1]Anunciação de Nossa Senhora

A Santa Igreja Ortodoxa celebra cada ano, no dia 25 de março Anunciação de Nossa Senhora

No sexto mês após a aparição do Arcanjo Gabriel a Zacarias, por motivo do nascimento de São João Batista, o mesmo Arcanjo Gabriel foi enviado por Deus para a cidade de Nazaré ao encontro da Sagrada Virgem Maria com a feliz notícia que Deus A escolheria para ser a Mãe do Salvador do mundo. O Arcanjo Gabriel surge perante Ela e anuncia-Lhe: “Deus te salve, cheia de graça; o Senhor é contigo. Abençoada és Tu entre as mulheres!” Ela ao ouvir estas palavras, perturbou-se e começou a pensar que saudação seria esta. O Arcanjo disse-lhe: “Não temas, Maria, pois achaste graça diante de Deus, eis que conceberás no teu ventre e darás a luz um Filho, a quem porás o nome de Jesus. Este será grande, será chamado Filho do Altíssimo e o Senhor Deus Lhe dará o trono de seu pai David, reinará sobre a casa de Jacó eternamente e o Seu reino não terá fim ” Maria disse ao anjo: “Como se fará isso, pois eu não conheço varão?” Respondendo o Arcanjo disse-lhe: “O Espírito Santo descerá sobre Ti e a virtude do Altíssimo te cobrirá com a sua sombra, por isso mesmo o Santo que há de nascer de Ti, será chamado Filho de Deus. Eis que também Isabel, tua parente, concebeu um filho na sua velhice e este é o sexto mês da que se dizia estéril, porque a Deus nada é impossível.” Então disse Maria: “Eis aqui a serva do Senhor, faça-se em Mim segundo a tua palavra.” E o Arcanjo afastou-se dela.

foto2[1]Dormição de Nossa Senhora

A Santa Igreja Ortodoxa celebra cada ano, no dia 15 de agosto Dormição de Nossa Senhora

Certa vez, quando a Virgem Maria estava a rezar no monte Eleon, perto de Jerusalém, apareceu-lhe o Arcanjo Gabriel com um ramo de figueira em suas mãos e diz-Lhe que dali a 3 dias a Sua existência na Terra estará terminada e que Jesus Cristo virá buscá-la para a levar com Ele. Cristo fez tudo de maneira a que nessa época todos os apóstolos vindos de países diferentes estivessem todos em Jerusalém. No momento do seu final, uma luz intensa iluminou o quarto onde estava a Virgem Maria. Jesus Cristo, rodeado de Seus anjos surgiu e recebeu a Sua alma puríssima. Três dias após a Dormição da Virgem Maria, chega a Jerusalém, atrasado, o apóstolo Tomé. Tomé estava muito triste porque não conseguira despedir-se da Mãe de Cristo e do fundo da alma desejava orar e prestar homenagens. À noite durante as suas orações eles ouviram anjos a cantar. Olhando para cima, os apóstolos viram no alto, no ar, a Virgem Maria cercada de anjos, iluminada por uma intensa luz celestial. Ela disse aos apóstolos: “Alegrem-se, Eu estou com vocês todos os dias!” Esta sua promessa de ajudar e defender os cristãos Ela mantém até os dias de hoje, assumindo-se como nossa Mãe celeste. Em virtude de seu imenso amor e ajuda poderosa, os cristãos desde épocas antigas consideram-Na e procuram-Na em busca de ajuda, chamando-A defensora incansável de todos os cristãos, alegria de todos os que sofrem, Aquela que mesmo após a sua Dormição, nunca nos abandonará. Desde os tempos mais antigos, a exemplo do profeta Isaías e de sua parente Isabel, os cristãos passaram a chamá-la de Mãe de Cristo e Mãe de Deus. Esta denominação vem do fato de Ela ter dado vida e corpo Àquele que sempre foi e sempre será o Deus verdadeiro. A Sagrada Virgem Maria é por si só um grande exemplo para ser seguido por todos os que querem agradar a Deus. Ela foi a primeira quem se decidiu inteiramente a dedicar a sua vida a Deus. Ela demonstrou que a sua voluntária condição de Virgem está acima da vida em família e do casamento. Seguindo o seu exemplo, a partir dos primeiros séculos, muitos cristãos optaram por viver as suas vidas na castidade, virgindade, em orações, jejum e pensamento em Deus. Assim surgiu e se consagrou a prática dos conventos e mosteiros. Que pensar do mundo contemporâneo, que absolutamente não valoriza e até humilha a virtude da castidade, virgindade, esquecendo as palavras de Cristo: “Há eunucos que a si mesmo se fizeram eunucos por amor do reino dos céus. Quem pode compreender, compreenda!” (Mt.19:1-2). Resumindo este breve relato da vida terrena da Sagrada Virgem Maria, é necessário dizer que Ela, em Seu momento máximo de graça e alegria, quando foi escolhida para ser a Mãe do Salvador do mundo e também no momento da sua máxima dor aos pés da cruz (conforme profecia de Simeão “Seu coração foi dilacerado”) demonstrou total obediência. Assim, Ela demonstrou total força e beleza de suas bênçãos e graças: Fé inabalável, paciência, coragem, esperança em Deus e amor a Ele, aceitação. Por isso nós, cristãos ortodoxos, temos um imenso respeito, admiração e consideração por Ela e esforçamo-nos por imitá-La nos seus exemplos.

O Profeta Isaías, esclarece a profecia, indicando que Ela, a Mulher escolhida para gerar o Messias – Emanuel será Virgem: “Pois por isso o Senhor Deus vos dará este sinal” diz o profeta aos poucos crentes descendentes de David. Apesar do termo “Virgem” parecer estranho aos antigos povos judeus, (uma vez que necessariamente pressupõe uma relação conjugal), eles não se atreveram a trocar a palavra “Virgem” por outra do tipo “Mulher”. Portanto: “Uma Virgem conceberá e dará a luz um filho, e seu nome será Emanuel” – nome que significa: Deus está conosco” (Isaías 7:14).